Coordenador do MADEM-G15 promete combater quaisquer formas de discriminação

anp Edif.jpg

O Coordenador Nacional do Movimento para Alternância Democrática (Madem-G15), Braima Camará, afirmou esta quarta-feira, 29 de junho de 2022, que se o Madem-G15 ganhar as próximas legislativas antecipadas com 102 deputados, lutará para combater o nepotismo, o tribalismo, o clientelismos e quaisquer formas de discriminação.

Braima Camará fez esse anúncio depois da audiência com o embaixador de França na Guiné-Bissau, Terens William, a quem disse ter transmitido a linha de continuidade da nova dinâmica que o Madem-G15 estabeleceu com os parceiros e amigos da Guiné-Bissau.

“Se o Madem-G 15 vencer as eleições antecipadas de 18 de dezembro, contará igualmente com todas as forças vivas da nação e apostará nos quadros com competências”, assegurou, para de seguida afirmar que o seu partido reafirmou ao embaixador a “condenação de todos os atos subversivos que aconteceram no país”.

“A agenda do nosso partido é mostrar à comunidade internacional a visão do Movimento para a Alternância Democrática para que não hajam quaisquer dúvidas e que a nova geração de políticos compreenda que o poder se conquista só nas urnas”, disse.

O político disse que o Madem-G15 ficou, depois da audiência, com a sensação de que a França conseguiu retomar a sua posição em relação à Guiné-Bissau, sobretudo com a “nova dinâmica imprimida pelo presidente da República”.

“Os impatos dos acontecimentos de 7 Junho de 1998, durante os quais o centro de cooperação francesa na Guiné-Bissau foi vandalizado, foram nefastos na relação com França. Portanto, sem paz e estabilidade internas nada pode ir para frente”, indicou.

Braima Camará frisou que “durante o encontro o embaixador disse que o destino da Guiné-Bissau está nas mãos dos guineenses”.

“Cabe a todos nós propomos uma agenda que queremos para o nosso país”, precisou.

O DEMOCRATA