CNE pronta para legislativas antecipadas desde que haja verba e novo caderno eleitoral

anp Edif.jpg

O presidente em exercício na Comissão Nacional de Eleições (CNE) da Guiné-Bissau, o juiz Mpabi Kabi, disse hoje que o órgão está pronto para realizar eleições legislativas desde que haja dinheiro e um novo caderno eleitoral.

Kabi afirmou em declarações, esperar que as condições sejam criadas para que as eleições possam ter lugar na data marcada pelo chefe de Estado.

Umaro Sissoco Embaló dissolveu segunda-feira o parlamento e marcou as eleições legislativas antecipadas para 18 de dezembro.

“A CNE tem recursos humanos à altura, mas neste momento não sabemos da existência de um fundo eleitoral. Sabemos que o Governo estava a diligenciar para a realização de um novo recenseamento eleitoral que produza o caderno eleitoral”, afirmou Mpabi Kabi.

O responsável notou que com a convocação de eleições antecipadas, a CNE iniciou esta semana a elaboração de um orçamento que não será menos do que os valores gastos em processos anteriores, cerca de sete milhões de dólares (6,654 milhões de euros).

“Por estes dois motivos, fica difícil, para a CNE, responder de forma concisa se temos condições imediatas para realizar eleições, mas estamos prontos”, observou o presidente em exercício da CNE, que funciona, neste momento, com um secretário-executivo (Mpabi Kabi) e dois secretários-executivos adjuntos (Felisberta Moura Vaz e Idriça Djaló).

O juiz José Pedro Sambu, que presidia à CNE, foi eleito presidente do Supremo Tribunal de Justiça.